Nova diretoria da Cinemateca Catarinense Toma Posse

A nova diretoria da Cinemateca Catarinense toma posse nesta sexta, às 20h, no Instituto Arco-Íris (Travessa Raticlif). Eleita em 13 de dezembro por uma assembléia de associados para um mandato de dois anos, o grupo é formada por Iur Gomez na presidência, Natália Poli, diretora financeira, Reno Caramori, diretor de comunicação, e Leandro Elser, diretor administrativo. A proposta da gestão é fundamentada em três pontos principais: O primeiro deles é a elaboração do novo texto do Edital Catarinense de Cinema do governo do Estado, com “uma discussão do formato e proposição de aumento no valor do prêmio, para um atendimento adequado de uma perspectiva de profissionalização e de desenvolvimento estético”, diz Iur. O segundo ponto é investir na ampliação da representatividade da Cinemateca para outras cidades de Santa Catarina, formando associação com entidades dos principais pólos regionais. Por último, a proposta da nova diretoria é transformar a Cinemateca numa Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) cuja finalidade é facilitar a realização de parcerias e convênios com todos os níveis de governo e órgãos públicos e permitir que doações realizadas por empresas possam ser descontadas no imposto de renda. A nova diretoria vai também dar continuidade às ações da gestão anterior e vai cuidar do programa de comemoração dos 25 anos da entidade, que ocorre em maio. Sofia Mafalda, presidente da atual diretoria, entrega o cargo e destaca as principais realizações. Uma delas foi o projeto Cinemateca Cultural Itinerante, realizado com recursos do Funcultural, que promoveu oficinas e debates nas cidades de Joinville, Chapecó, Lages, Jaraguá do Sul e Laguna, e o 1º Congresso Catarinense de Cinema, realizado em 2010, que emitiu a Carta de Florianópolis, com diretrizes para o setor. Outra realização foi o Núcleo de Produção Digital do Programa Olhar Brasil, do governo federal, em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina e o Fundo Municipal de Cinema (Funcine), quando foram promovidas 20 oficinas de formação profissional. Sofia destaca ainda a abertura de dois cineclubes, o Ieda Beck, com sessões no Instituto Arco-Íris, onde a Cinemateca vai funcionar a partir de fevereiro, e o Pitangueira, contemplado pelo Cine Mais Cultura, do MinC, e abrigado na Casa das Máquinas do Centro Cultural Bento Silvéiro, na Lagoa da Conceição. Os dois cineclubes são realizados em parceria com o Funcine. Durante a atual gestão foi realizado o Censo Audiovisual, com o levantamento do cinema produzido em Santa Catarina no período de 1900 a 2009. A entidade também apoiou a realização das mostras de Cinema Infantil, A Caverna, Semana de Cinema da UFSC, FAM e Festival do Júri Popular. Na imagem do post, Leandro, Reno, Natália e Iur.

Por Fifo Lima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s